Com mais de 860 notificações de dengue, bairros de Rio Branco passam por borrifação

Foto: Divisão de Controle de Endemias da Prefeitura de Rio Branco

Com mais de 860 notificações de casos de dengue, a região da Baixada da Sobral e do Segundo Distrito de Rio Branco passam por borrifação para conter o mosquito Aedes aegypti. O reforço no combate, fumacê como é popularmente chamado, ao transmissor começou no início do mês, dia 2 de janeiro.

O trabalho é uma estratégia usada para cortar a cadeia de transmissão do mosquito. Esse bloqueio de transmissão é feito sempre que há notificações de casos suspeitos. Com o alto número de notificações, os agentes de endemias usam o nebulizador costal, que tem uma eficácia maior que o carro que passa soltando fumaça na rua.

A chefe da Divisão de Controle de Endemias, Eliana Pereira, explica sobre a eficiência da ação. “É um equipamento de costa e permite o servidor entrar nos domicílios fazendo a aplicação da borrifação, diferente do carro que só passa na rua e só é indicado em casos de grandes epidemias por proporcionar um número maior de imóveis, porém, tem uma eficácia reduzida que o equipamento costal”, destacou.

Agentes de endemias passam nas casas reforçando as ações de combate à dengue — Foto: Divisão de Controle de Endemias da Prefeitura de Rio Branco
Agentes de endemias passam nas casas reforçando as ações de combate à dengue — Foto: Divisão de Controle de Endemias da Prefeitura de Rio Branco

Eliana frisou que o trabalho de borrifação é feito em conjunto com a visita domiciliar pelos agentes endemias. Até esta terça-feira (30) os servidores municipais já estiveram fazendo borrifação e visitas nas seguintes regiões:

  • Baixada da Sobral – todos os bairros visitados
  • Bairro Floresta
  • Conjunto Habitacional Cidade do Povo
  • Belo Jardim I e II
  • Conjunto Santo Afonso
  • Bairro Rosalinda

Como saber se você está com dengue e se é grave

“Temos previsão de trabalhar com esse contingente até abril ou maio, que é o período de chuvas mais intensas. Conforme forem diminuindo os casos, a gente vai readequando a locação dos servidores, as ações operacionais e priorizando aquilo que for necessário para cada período do ano”

Esta previsto para esta quarta (31) um mutirão de borrifação e visitas nas residências da Parte Alta da capital acreana. “A borrifação nunca vai ser uma estratégia isolada. Os agentes de endemias passam durante todo ano, é programa e precisa continuar durante o ano.

Eliana explicou que cerca de 230 servidores estão envolvidos no controle das arboviroses. Temos três frentes de serviço, quatro frentes de borrifação. Paralelo a isso, a Semsa também tem dedicado esforços em fazer uma ação com os agentes comunitários de saúde. Em suas micro áreas, pequenos mutirões nas Unidades de Referência da Atenção Primária, então, também tem o serviço paralelo dos agentes comunitários de saúde”, concluiu.

 

 

G1 acre

Compartilhar